Berliner Boersenzeitung - Sob pressão dos EUA, bancos chineses adotam cautela em transações com a Rússia

EUR -
AED 3.977664
AFN 77.818796
ALL 100.136903
AMD 419.727277
ANG 1.951811
AOA 918.724306
ARS 964.120714
AUD 1.633841
AWG 1.952004
AZN 1.838987
BAM 1.953009
BBD 2.186675
BDT 127.028475
BGN 1.954491
BHD 0.408259
BIF 3108.557833
BMD 1.082942
BND 1.461312
BOB 7.483306
BRL 5.578342
BSD 1.082952
BTN 90.129204
BWP 14.694002
BYN 3.544135
BYR 21225.672253
BZD 2.18298
CAD 1.482738
CDF 3032.238735
CHF 0.989788
CLF 0.035674
CLP 984.318978
CNY 7.846357
CNH 7.860865
COP 4150.160397
CRC 555.30646
CUC 1.082942
CUP 28.697975
CVE 110.107655
CZK 24.727886
DJF 192.824451
DKK 7.461983
DOP 63.65903
DZD 145.812268
EGP 51.058244
ERN 16.244137
ETB 62.222883
FJD 2.454053
FKP 0.862129
GBP 0.85181
GEL 2.945742
GGP 0.862129
GHS 15.757482
GIP 0.862129
GMD 73.368923
GNF 9309.696329
GTQ 8.414975
GYD 226.696049
HKD 8.456941
HNL 26.764753
HRK 7.558891
HTG 144.034173
HUF 386.967954
IDR 17405.75516
ILS 3.978568
IMP 0.862129
INR 90.198657
IQD 1418.672699
IRR 45551.265612
ISK 150.107117
JEP 0.862129
JMD 169.098356
JOD 0.7677
JPY 170.109643
KES 143.760914
KGS 95.293416
KHR 4415.689925
KMF 492.576335
KPW 974.647888
KRW 1479.657025
KWD 0.332453
KYD 0.90251
KZT 479.794368
LAK 23155.90992
LBP 96980.613509
LKR 325.005563
LRD 209.630603
LSL 19.806775
LTL 3.197648
LVL 0.655061
LYD 5.240511
MAD 10.772107
MDL 19.146639
MGA 4796.146248
MKD 61.438134
MMK 2274.250069
MNT 3736.151248
MOP 8.709254
MRU 43.025335
MUR 50.107408
MVR 16.731186
MWK 1877.71672
MXN 18.099683
MYR 5.094703
MZN 68.760578
NAD 19.807026
NGN 1563.76921
NIO 39.863035
NOK 11.537328
NPR 144.206927
NZD 1.771234
OMR 0.416748
PAB 1.082952
PEN 4.041924
PGK 4.208985
PHP 63.087357
PKR 301.392606
PLN 4.261269
PYG 8144.361607
QAR 3.943265
RON 4.976149
RSD 117.160251
RUB 97.68574
RWF 1424.064994
SAR 4.061665
SBD 9.205261
SCR 14.605571
SDG 650.848651
SEK 11.616025
SGD 1.463067
SHP 1.368243
SLE 24.742314
SLL 22708.762972
SOS 618.360121
SRD 34.953593
STD 22414.722509
SVC 9.476458
SYP 2720.925267
SZL 19.893572
THB 39.657326
TJS 11.663633
TMT 3.790299
TND 3.380402
TOP 2.561538
TRY 34.87718
TTD 7.349497
TWD 34.918717
TZS 2815.776016
UAH 43.261479
UGX 4142.080915
USD 1.082942
UYU 41.480724
UZS 13780.307771
VEF 3923015.959957
VES 39.528203
VND 27582.003033
VUV 128.569084
WST 3.035588
XAF 655.020967
XAG 0.035768
XAU 0.000462
XCD 2.926706
XDR 0.818131
XOF 655.020967
XPF 119.331742
YER 271.174654
ZAR 19.982992
ZMK 9747.785718
ZMW 28.672027
ZWL 348.707031
Sob pressão dos EUA, bancos chineses adotam cautela em transações com a Rússia
Sob pressão dos EUA, bancos chineses adotam cautela em transações com a Rússia / foto: Alexander NEMENOV - AFP

Sob pressão dos EUA, bancos chineses adotam cautela em transações com a Rússia

Assustados com as ameaças de sanções americanas, os bancos chineses se mostraram mais prudentes nos últimos meses em suas transações com a Rússia, apesar da amizade "sem limites" apregoada pelos líderes de Moscou e Pequim.

Tamanho do texto:

Poucos dias antes da visita do presidente russo, Vladimir Putin, à China, na quinta e sexta-feira (16 e 17 de maio), as relações diplomáticas e comerciais entre os dois países se deparam com um obstáculo financeiro.

Em dezembro, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, assinou um decreto que autoriza as sanções secundárias contra bancos estrangeiros ligados à máquina de guerra russa.

Na prática, isso significa que o Tesouro americano pode exclui-los do sistema financeiro mundial, baseado no dólar.

Desde então, diversos bancos chineses interromperam ou reduziram suas transações com clientes russos, segundo oito pessoas dos dois países envolvidos no comércio bilateral.

"Atualmente é difícil fazer entrar o dinheiro procedente da Rússia", assegura um empresário chinês dedicado ao comércio atacadista no setor têxtil diante de sua loja no centro de Pequim.

"Os bancos não dizem por que (...) mas sem dúvida é pela ameaça dos Estados Unidos", acrescenta.

Os comerciantes entrevistados pela AFP asseguram que os bancos impõem controles adicionais às transações entre os dois países. Às vezes, o processo demora meses, o que afeta especialmente a liquidez das pequenas e médias empresas.

Outro comerciante afirma à AFP, sob condição de anonimato, que se viu obrigado a encerrar suas atividades na China e voltar para a Rússia pela "impossibilidade de receber dinheiro dos clientes".

O comércio entre China e Rússia aumentou desde o início da invasão da Ucrânia e em 2023 superou os 240 bilhões de dólares (1,2 trilhão de reais), segundo o governo chinês, o que representa um aumento de 25% em ritmo anual.

Se os bancos da China rejeitarem os pagamentos procedentes da Rússia, os efeitos sobre a economia de Moscou podem se tornar relevantes.

A China importa gás e petróleo do país vizinho, "quase 50% do petróleo russo", segundo o Kremlin. Por sua vez, a Rússia importa componentes eletrônicos necessários tanto para a indústria civil como para a militar.

As dificuldades nos pagamentos coincidiram com uma queda das exportações chinesas para a Rússia em março e abril.

"Embora as sanções tenham sido impostas para as exportações de alguns produtos da China, elas têm impacto no restante do comércio", afirma Pavel Bazhanov, um advogado que trabalha para empresas russas na China.

A imprensa russa abordou a situação e o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, criticou "as pressões sem precedentes" dos Estados Unidos.

Pequim não confirma publicamente o problema, mas o Ministério das Relações Exteriores afirmou à AFP ser contra "as sanções americanas unilaterais e ilegais".

(G.Gruner--BBZ)