Berliner Boersenzeitung - Ministério Público interroga Boluarte por 'Rolexgate' em meio a novo escândalo

EUR -
AED 3.987017
AFN 77.869411
ALL 100.412136
AMD 420.250791
ANG 1.954036
AOA 920.877782
ARS 965.218555
AUD 1.636733
AWG 1.95658
AZN 1.849627
BAM 1.956036
BBD 2.189165
BDT 127.17537
BGN 1.959782
BHD 0.408949
BIF 3112.176134
BMD 1.085481
BND 1.463977
BOB 7.491905
BRL 5.608903
BSD 1.084231
BTN 90.115691
BWP 14.73078
BYN 3.548229
BYR 21275.431322
BZD 2.185464
CAD 1.484016
CDF 3050.202536
CHF 1.000585
CLF 0.035751
CLP 986.469223
CNY 7.861099
CNH 7.882748
COP 4195.107015
CRC 555.867181
CUC 1.085481
CUP 28.765252
CVE 110.278328
CZK 24.653887
DJF 193.043331
DKK 7.471046
DOP 63.847717
DZD 145.87063
EGP 51.153182
ERN 16.282218
ETB 62.296329
FJD 2.461492
FKP 0.86415
GBP 0.857105
GEL 2.942078
GGP 0.86415
GHS 15.774907
GIP 0.86415
GMD 73.568531
GNF 9320.126419
GTQ 8.422018
GYD 226.837415
HKD 8.478807
HNL 26.793238
HRK 7.576611
HTG 144.147421
HUF 384.325891
IDR 17416.545692
ILS 3.972042
IMP 0.86415
INR 90.158711
IQD 1420.271652
IRR 45671.621447
ISK 150.01764
JEP 0.86415
JMD 169.680507
JOD 0.769502
JPY 170.371743
KES 141.4871
KGS 95.474262
KHR 4422.534502
KMF 494.599921
KPW 976.932742
KRW 1483.531255
KWD 0.333254
KYD 0.903509
KZT 480.208037
LAK 23205.804625
LBP 97091.034301
LKR 324.789254
LRD 210.122064
LSL 20.060106
LTL 3.205144
LVL 0.656597
LYD 5.253635
MAD 10.814807
MDL 19.234325
MGA 4804.580676
MKD 61.627448
MMK 2276.87518
MNT 3744.909859
MOP 8.725054
MRU 43.137434
MUR 49.996042
MVR 16.78195
MWK 1879.827194
MXN 18.127323
MYR 5.114249
MZN 68.932104
NAD 20.060102
NGN 1593.986117
NIO 39.904823
NOK 11.487496
NPR 144.185426
NZD 1.773228
OMR 0.41755
PAB 1.084231
PEN 4.05329
PGK 4.213509
PHP 63.179894
PKR 301.615653
PLN 4.264167
PYG 8154.985601
QAR 3.952784
RON 4.978238
RSD 117.16106
RUB 99.457256
RWF 1425.772317
SAR 4.07034
SBD 9.199654
SCR 14.818791
SDG 652.374563
SEK 11.793265
SGD 1.465512
SHP 1.371452
SLE 24.800317
SLL 22761.998832
SOS 619.810126
SRD 35.033367
STD 22467.269053
SVC 9.487147
SYP 2727.303897
SZL 19.933409
THB 39.775328
TJS 11.687813
TMT 3.810039
TND 3.385345
TOP 2.56695
TRY 34.950436
TTD 7.36289
TWD 35.002973
TZS 2818.940694
UAH 43.51826
UGX 4125.498603
USD 1.085481
UYU 41.725043
UZS 13783.665877
VEF 3932212.63556
VES 39.620872
VND 27648.291388
VUV 128.870487
WST 3.042705
XAF 656.036288
XAG 0.035773
XAU 0.000465
XCD 2.933568
XDR 0.818999
XOF 656.036288
XPF 119.331742
YER 271.75061
ZAR 19.993978
ZMK 9770.63718
ZMW 28.937497
ZWL 349.5245
Ministério Público interroga Boluarte por 'Rolexgate' em meio a novo escândalo
Ministério Público interroga Boluarte por 'Rolexgate' em meio a novo escândalo / foto: Cris BOURONCLE - AFP

Ministério Público interroga Boluarte por 'Rolexgate' em meio a novo escândalo

A presidente do Peru, Dina Boluarte, compareceu nesta quarta-feira (15) perante os promotores que a estão investigando pelo "Rolexgate", um caso de suposta corrupção que colocou seu já enfraquecido governo na mira.

Tamanho do texto:

É a segunda vez que Boluarte é convocada a depor desde que o escândalo estourou em março por causa de relógios de luxo Rolex e joias que ela não listou em sua relação de bens.

Depois de uma hora de interrogatório, ela deixou o escritório do promotor no centro de Lima sem dar declarações.

Do lado de fora do prédio vigiado pela polícia, uma dúzia de manifestantes gritou pedindo sua renúncia. "Essa canalha não pode ficar até 2026 (...) Não podemos suportar esse governo", disse Maria Maldonado, 52 anos, à AFP.

O Ministério Público está investigando Boluarte por suposto enriquecimento ilícito e por não registrar seus bens em documentos. Ela também está sendo investigado por "suborno passivo impróprio", um crime que envolve o recebimento de benefícios indevidos de funcionários públicos.

Em seu primeiro depoimento à promotoria em 5 de abril, Boluarte indicou que os relógios Rolex foram emprestados a ela por seu amigo e governador regional de Ayacucho, Wilfredo Oscorima.

Se a promotoria finalmente decidir acusá-la, Boluarte só poderá ser levada a julgamento no final de seu mandato, em julho de 2026, como prevê a Constituição.

- Sequência de escândalos -

Desde sexta-feira, a presidente vem enfrentando um novo escândalo de corrupção envolvendo seu irmão mais velho, Nicanor Boluarte, que naquele dia foi detido preliminarmente por até 10 dias por ordem de um juiz.

Nicanor é suspeito de comandar uma rede de corrupção que nomeou funcionários em troca de subornos, aproveitando-se do "poder de fato" que recebeu de sua irmã, de acordo com o Judiciário.

Enquanto enfrenta a Justiça, Dina Boluarte sofre uma tentativa de impeachment por parte da oposição minoritária de esquerda no Congresso, dominado pela direita. É a terceira tentativa em seus 17 meses no poder.

A presidente, cuja desaprovação chega a 88% de acordo com uma pesquisa recente da Ipsos, não tem sua própria bancada e partido, portanto, o apoio das forças conservadoras é fundamental para que ela possa concluir seu mandato em julho de 2026.

"Vamos continuar caminhando até 28 de julho de 2026! Porque aqui o povo escolheu uma chapa presidencial e, de acordo com a Constituição, isso deve ser respeitado", disse ela na terça-feira em um evento público.

Em apenas oito anos, o Peru teve seis presidentes, em meio à pior onda de instabilidade política de sua história moderna.

- Promotores contra a presidente -

Em resposta às ações dos promotores, o governo surpreendentemente ordenou a dissolução da unidade policial que apoiou a equipe de promotores anticorrupção que realizou buscas na casa de Boluarte e no gabinete da presidente em março em busca das joias.

A mesma equipe estava encarregada da operação para capturar Nicanor Boluarte.

A presidente assumiu o cargo em dezembro de 2022, substituindo o esquerdista Pedro Castillo, que sofreu impeachment e foi preso por sua tentativa fracassada de dissolver o Congresso. Bolaurte era sua vice-presidente.

Após sua posse, eclodiram protestos que foram severamente reprimidos pelas forças de segurança, nos quais 50 pessoas teriam sido mortas a tiros por policiais e militares.

Como resultado, Boluarte está sendo investigada desde janeiro de 2023 por suposto "genocídio, homicídio agravado e lesão corporal grave".

"Entrei no palácio do governo com as mãos limpas e sairei com as mãos limpas, como prometi ao povo peruano", disse em abril a primeira mulher presidente do Peru.

(Y.Yildiz--BBZ)